O marido da servidora pública Claudiana Bom Macota, 35 anos, encontrada morta nesta segunda-feira (9), confessou o assassinato da vítima. De acordo com a Polícia Civil, o motorista, de 43 anos, disse que matou a mulher porque achava que estava sendo traído.

O homem disse que esganou a mulher na quinta-feira (5) à noite dentro de casa. Após deixar o corpo em uma mata na Praia da Gamboa, em Itaipava, ele teria arrumado a casa e alertado a filha sobre o desaparecimento da mãe. Já na primeira oitiva, a polícia desconfiou do comportamento suspeito do marido.

Apesar de confessar o crime, o marido da vítima, que prestou depoimento na segunda, foi liberado, porque não houve flagrante e a polícia aguarda o resultado do exame de DNA para comprovar a identidade da vítima.

O delegado responsável pelo caso, Djalma Pereira voltou com a equipe na manhã de hoje (10) aonde o corpo foi encontrado para colher novas provas. A vítima estava parcialmente carbonizada e ao lado de uma cova e uma pá.

Familiares de Claudiana reconheceram o corpo pela roupa que ela usava, mas foram encaminhadas para o Serviço Médico Legal de Cachoeiro (SML) para realização do de DNA.

Foto: Luciana Máximo e redes sociais
loading...

Participe e comente