Os empresários suspeitos de mandar matar o advogado Fernando da Costa Ghio, assassinado no último dia 14 do mês passado, na BR 482, na Rodovia do Contorno, em Cachoeiro de Itapemirim, foram ouvidos na quarta-feira (2), pelo delegado titular da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV), Guilherme Eugênio Rodrigues.

Os empresários chegaram à delegacia, por volta das 15h, acompanhados de seus advogados, e lá foram ouvidos por quase nove horas.

Guilherme Eugênio não passou detalhes sobre os depoimentos e disse ontem que a DCCV vem realizando diligências acerca do caso, que envolve a atuação de três empresários e dois pistoleiros, além do advogado.

“O crime foi motivado por relações negociais entre os empresários, originando dívidas, mediadas pelo advogado. É importante esclarecer que Fernando não foi contratado para o exercício de sua função”, disse o delegado, ressaltando que outras informações não serão divulgadas, até a conclusão do inquérito policial, para não prejudicar o trabalho da polícia.

O delegado esclarece que informações passadas acerca da autoria do crime até o momento são meras especulações.

“A Delegacia de Crimes Contra a Vida esclarece que as apurações se encontram em estágio avançado e que em breve o caso será submetido à apreciação do Poder Judiciário”, afirma Eugênio.

O crime

No dia do crime, o advogado foi ao encontro dos pistoleiros que o mataram acompanhado do pedreiro que trabalhava em sua casa. A dupla, que estava no banco de trás de seu carro o surpreendeu com uma arma de fogo. A vítima tentou segurar a arma e acabou baleada, vindo a capotar o Honda Fit Twist, que saiu da pista e capotou às margens da Rodovia do Contorno.

O advogado foi encontrado sem vida dentro de seu carro e hipótese de acidente foi descartada assim que seu corpo foi periciado pela Polícia Civil.

O pedreiro que acompanhava Fernando também foi baleado, mas  sobreviveu. Ele já foi ouvido pela DCCV.

loading...

Participe e comente