SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Polícia Civil prendeu nesta quarta-feira (11) o homem suspeito de usar um distintivo falso para assaltar e estuprar uma mulher na saída de um supermercado no Jardins, região nobre de São Paulo, no último dia 6. O suspeito está detido na carceragem da 1ª Delegacia da Mulher, responsável pela investigação.

O homem era procurado desde o último sábado (7), e a polícia investiga se ele fez mais vítimas se passando por policial federal.

A vítima, de 48 anos, cruzava a rua Augusta após sair do estacionamento da Casa Santa Luzia, empório de luxo tradicional do bairro. Ao abordá-la, o homem apresentou um distintivo falso da Polícia Federal. Armado, mandou a mulher abaixar os vidros e mostrar os documentos.

Após acusá-la de quase atropelá-lo, ele percebeu as portas destrancadas e entrou no veículo. A mulher ficou cerca de três horas em poder do bandido, que a obrigou a sacar R$ 1.000 de um caixa eletrônico na rua São Caetano, no centro de São Paulo.

O criminoso mandou a vítima tirar seu sutiã e a fazer sexo oral nele, segundo registro do boletim de ocorrência. Ele também chegou a se masturbar e a ejacular no carro, de acordo com Marco Antonio de Paula Santos, delegado seccional do centro. A conduta, segundo a polícia, é considerada estupro -uma lei de 2009 ampliou a classificação desse crime, que até então abrangia essencialmente os casos com conjunção carnal.

Procurada, a vítima preferiu não dar entrevista -foi orientada pelo advogado a não falar para não atrapalhar as investigações.
loading...

Participe e comente