Ao ser resgatado após ficar quatro dias perdido no Pico da Bandeira, o professor universitário Antônio Teodoro Dutra Junior, contou que passou todo esse tempo apenas com uma barra de chocolate meio amargo. A declaração causou espanto em muita gente, mas tem uma explicação científica. A nutricionista clínica e esportiva, Karol Muniz, afirma que a barra de chocolate, por ser energética, ajudou o professor a sobreviver.

Segundo ela, quando o corpo humano passa por privação alimentar, ele entra em um estado de hipoglicemia. “É quando o nível de glicose, ou açúcar, no sangue encontra-se muito baixo. A hipoglicemia pode levar o organismo a apresentar sintomas como tremores, fraqueza, palidez, palpitações cardíacas, sensação de confusão mental e irritabilidade”, explica Karol.

Ao ingerir o chocolate, o açúcar presente foi liberado na corrente sanguínea, o que ajudou o professor nesse período no qual ele necessitava de energia para sobreviver e procurar ajuda.

Durante o frio as reservas de gordura são degradadas mais rapidamente, lembra Karol. Ela explica que, além da falta de alimento, o corpo necessita de energia também para se aquecer. “O chocolate é um alimento energético, nesse caso de privação alimentar os alimentos ricos em açúcares no momento que forem ingeridos já aumentam quase que instantaneamente a glicemia sanguínea, revertendo o quadro de hipoglicemia gerado pela fome”, diz.

Privação Alimentar

Na literatura não existe um número definitivo de quanto tempo uma pessoa consegue ficar sem se alimentar, embora haja relatos de pessoas que sobreviveram até 50 dias em situações extremas.

O tempo que a pessoa conseguirá sobreviver dependerá de diversos fatores que variam de indivíduo a indivíduo, o estado nutricional em que a pessoa se encontra é um deles.

Uma pessoa de peso normal, com menor percentual de gordura corporal , por exemplo, irá ficar debilitada mais rápido do que outra com o percentual de gordura corporal mais elevado. É que durante a falta de alimentos, inicialmente o organismo irá metabolizar a gordura corporal e, em seguida, começará a degradar as proteínas promovendo uma rápida perda muscular.

loading...

Participe e comente