O processo de Impeachment foi aprovado no senado. Dilma Rousseff (PT) será afastada por 180 dias da presidência. Agora, quem comanda o país é Michel Temer (PMBD) até então, vice-presidente.

O advogado e professor aposentado, David Alberto Lóss deu sua opinião sobre o momento que o Brasil atravessa. Filiado aos PDT há vários anos, Lóss disse que o país carece de informações. Muita coisa não foi explicada até agora e é preciso uma reforma partidária.

 

Como você vê o afastamento da presidente Dilma?

Infelizmente chegamos a um impasse não desejável. O ideal é que o mandatário eleito conclua o mandato que lhe foi conferido pelo povo e execute o programa de governo a que se propôs e prometeu aos eleitores.

 

Mas a presidente eleita teve seu mandato interrompido. Por que isto aconteceu?

O Brasil vinha bem. Baixo índice de desemprego, moeda estável e inflação controlada. De repente o país degringolou. A responsabilidade total é de quem governa. Até agora não ouvi nenhuma explicação de quem governa para o que aconteceu. O dinheiro acabou, o Brasil perdeu o crédito e os  programas sociais foram reduzidos, muito embora o povo não deixado de pagar os impostos, que são elevados.

Ninguém explica nada, até porque não se pode jogar a culpa em crise internacional, que não está havendo. Não basta o Governo dizer que não foi cometido nenhum crime de responsabilidade que justificasse o afastamento da Presidente que é iminente. É preciso que diga O QUE ACONTECEU. Se o Governo não vai bem e demonstra não saber o que fazer para debelar a crise, é de bom alvitre que renuncie para não piorar ainda mais a situação do povo, principalmente o mais carente que está desempregado. É como se fosse necessário estancar uma hemorragia em quem está perdendo muito sangue descontroladamente.

Já chega a 12 milhões o número de desempregados e a tendência é aumentar. Isso é preocupante porque gera uma bola de neve. É preciso estancar.

 

E o que muda se Michel Temer assumir?

Não analiso nomes. Não sei da capacidade e das intenções de Michel Temer. Se ele é o Vice-Presidente deve assumir, é o que diz a Constituição. Se vai resolver o problema, só o futuro dirá. No entanto a troca é salutar, não pela provável capacidade de Temer, mas pela necessidade de se mudar imediatamente  o modelo  de governar.

 

O que deve ser feito então?

Penso que o Vice-Presidente Temer deveria assumir e dentro de um ano convocar novas eleições, estando impedidos de concorrer todos os políticos envolvidos nos recentes e lamentáveis episódios de desvio de recursos públicos.

 


E isso resolveria tudo?

Não acredito em "salvadores da Pátria.". Acredito sim num esforço coletivo para salvar o Brasil e tirá-lo do buraco em que se meteu.

Defendo uma melhor divisão do bolo. A fatia maior do dinheiro arrecadado deve ficar com o MUNICÍPIO que é onde tudo acontece. Pelo modelo atual quem menos recebe recursos são os quase 6 mil municípios brasileiros, o que é um absurdo.

 

Deve ser feito uma reforma então?

A reforma partidária é urgentíssima. Não precisamos de 33 Partidos Políticos. Apenas 9 partidos contemplariam todas as matizes ideológicas, da extrema direita radical à extrema esquerda radical e até mesmo a ANARQUIA que é uma forma de se governar uma nação.

 

loading...

Participe e comente