"O ano só começa depois do Carnaval". Será?

COMPARTILHE
136

É sempre a mesma matemática, todo ano, em nossa região, as pessoas migram para o litoral, fazendo com que, todo ano, o comerciante já saiba que janeiro e fevereiro serão meses fracos, e que ele deve se preparar para o resultado abaixo da média. Mas será?
Uma cultura é difícil de mudar, né? Porque até nós, que vivemos de vendas, em determinadas situações onde queremos trabalhar, não conseguimos, visto que não há público, além da despesa alta para abrir um dia que pode não render nada.
No entanto, a reflexão inicial que faço é: o que é começar o ano pra você? Porque podemos começar de tantas formas, uma delas a gente sabe, mas quase nunca faz: o planejamento.
Tão essenciais aos negócios e visto de última hora. Você já planejou sua ação de dia das mães, dia dos namorados, dentre tantas outras. Se antecipar nessas situações é ganhar tempo, e tempo, meu caro leitor, é dinheiro.
Muito embora, como dito acima, esse deslocamento é uma cultura local, conversando com os amigos de diferentes ramos, pudemos perceber um janeiro diferente, um janeiro surpreendente.
Eu havia apostado no final do ano passado que o comércio esse ano não iria frear, poderia até não tocar com “a corda toda”, todavia como tivemos anos difíceis nestes últimos tempos, parar só poderia piorar.

O fato é que o comércio, em geral, foi um dos melhores janeiros de muitos tempos. A expectativa que eu tinha se consolidou, e não foi só comigo.

Creio que só de termos uma situação de confiança, o famoso “agora vai”, já gera esse movimento expressivo em prol da melhoria, e é disso que precisamos. Não podemos permitir que copa do mundo, eleições, dentre outros, por mais que possam impactar os nossos negócios, determinem os nossos resultados. Ou devo lhe desejar um feliz 2018? Pense bem, pois já se passaram 38 dias do 1º dia do ano!

Publicidade