A Prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim renovou por mais cinco meses o contrato de Convênio 043/2015 com o Pronto Atendimento Infantil (PAI). Com isso, o Hospital Infantil Francisco de Assis (Hifa), responsável pela administração, receberá R$ 290 mil mensais para manter a unidade.

A renovação foi divulgação na edição desta segunda-feira no Diário Oficial do Município (DOM). De acordo com o texto, os horários de atendimento serão mantidos: 7 horas às 22 horas nos dias úteis e 7 horas às 19 horas aos sábados e domingo, sendo que de 22 horas às 7 horas, todo o atendimento é feito no Pronto Socorro do Hifa. Também ficou estabelecida a nomeação do conselheiro Ivani Silvestre Cannedo como fiscal representante do Conselho Municipal de Saúde (C.M.S.) para acompanhamento da gestão e execução do contrato.

Ainda de acordo com o Diário Oficial, a renovação do contrato está em conformidade com o Plano Municipal de Saúde 2014-2017, e foi apreciada pelo Pleno do C.M.S. a partir de solicitação da Secretaria Municipal de Saúde. A finalidade é que o PAI continue a “ofertar serviços e aquisição de procedimentos a ser oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS) às CRIANÇAS de 0 a 11 anos e 11 meses do Município de Cachoeiro de Itapemirim”.

Quase parou

O Pronto Atendimento Infantil foi criado em 2006 numa parceria entre a prefeitura e o Hifa. O PAI realiza atendimentos de saúde a crianças em casos de baixa gravidade, tais como febre alta e persistente, vômitos frequentes, diarreia, urticária, crise de bronquite, dentre outros. A finalidade é desafogar o Pronto Socorro do Hifa. Em média, 150 crianças de todo o Sul do Espírito são atendidas por dia no PAI, que possui serviços especializados e enfermaria para permanência de pacientes em observação.

Em março deste ano, a direção do Hifa chegou a paralisar o atendimento do PAI por um dia. O motivo era o aumento da demanda e a ausência da verba oriunda dos estacionamentos rotativos (em torno de R$ 70 mil por mês ao Hifa), que foi paralisado no município por recomendação da Promotoria de Justiça e aguarda nova licitação para voltar a funcionar.

Durante uma reunião com representantes de hospitais filantrópicos com a presença do secretário estadual, Ricardo de Oliveira, realizada no dia 9 de dezembro passado, o superintendente do Hifa, Jailton Alves Pedroso, anunciou que o hospital fecharia 2016 com um déficit de R$ 2,5 milhões.

 

loading...

Participe e comente