Duas novas tecnologias em café Conilon foram lançadas nesta sexta-feira (17) em Marilândia: A nova cultivar clonal de café Conilon tolerante à seca, ‘Marilândia ES8143’, e o Jardim Clonal Superadensado de Café Conilon, uma nova técnica para a multiplicação rápida de cultivares clonais melhoradas. Ambas foram desenvolvidas pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper).

O lançamento foi realizado pela Secretaria Estadual de Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), por meio do Incaper, em parceria com a Prefeitura Municipal de Marilândia e diversas instituições. O evento na Fazenda Experimental do Incaper em Marilândia contou com a presença de produtores, viveiristas, técnicos e muitos outros interessados na cafeicultura de Conilon. Mais de 1.400 pessoas participaram.

"O período que ainda estamos vivendo no Brasil foi um dos mais difíceis da história do País. Tomar conta das coisas quando o vento está nas costas é moleza. Agora, tomar conta quando o vento está no peito não é mole. E nós estamos tomando conta das coisas em um momento dificílimo. O Espírito Santo já saiu da recessão. Na nossa porta hoje tem uma fila de empresas nacionais e internacionais querendo vir trabalhar. Para quem atravessa a crise de maneira organizada chovem oportunidades. Quem vai nadar de braçada depois da crise? Já está sendo o Espírito Santo. E por isso minha alegria de estar aqui. Num momento como esse para lançar uma pesquisa importante como essa. O capixaba vai produzir nos próximos anos um resultado extraordinário. Enquanto o governo federal está cortando investimentos, estamos com o maior investimento em pesquisa do Brasil", declarou o governador Paulo Hartung, na solenidade.

O secretário de Estado da Agricultura, Octaciano Neto, destacou que investir em pesquisa é importante para o desenvolvimento agrícola. "De forma geral não se gosta de investir em pesquisa no Brasil. Mas aqui no Estado estamos com o maior edital de pesquisa na agricultura do País. São R$ 14 milhões sendo investidos pelo Governo, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação (Fapes), que é o maior financiamento em pesquisa na cafeicultura do Espírito Santo. E investimento em pesquisa, no desenvolvimento dessa nova variedade de café Conilon, significa dinheiro no bolso do produto rural", disse Octaciano.

"O Incaper e o Governo do Estado estão entregando variedades que possam minimizar o impacto negativo que a crise hídrica trouxe para a sociedade capixaba, em especial ao produtor rural. Essa entrega é a coroação e o reflexo de um trabalho de mais de 30 anos de pesquisa. Sem dúvidas, é um marco para a cafeicultura capixaba", ressaltou o diretor-técnico do Incaper, Mauro Rossoni Junior.

As tecnologias foram lançadas num momento bastante oportuno. O Espírito Santo ainda vive os reflexos da longa estiagem, e uma alternativa para reduzir os danos causados pela falta d’água é o desenvolvimento de plantas tolerantes ao estresse hídrico ou mais eficientes no uso da água. O sucesso na utilização de uma cultivar clonal melhorada está estreitamente associado à produção de mudas de qualidade e, para disponibilizá-las aos cafeicultores capixabas, o Incaper desenvolveu uma técnica que permite a multiplicação rápida das cultivares melhoradas.

O lançamento na Fazenda Experimental do Incaper em Marilândia não foi por acaso. Marilândia tornou-se capital estadual da pesquisa em café Conilon graças aos estudos desenvolvidos pelo Incaper no município. A solenidade marcou, ainda, as comemorações pelo aniversário de 61 anos do Incaper.

Na ocasião, foram apresentadas questões técnicas relacionadas a cada uma das tecnologias. O pesquisador do Incaper e coordenador do programa estadual de cafeicultura, Romário Gava Ferrão, apresentou as características da variedade clonal ‘Marilândia ES 8143’.

" A variedade ‘Marilândia ES 8143’ tem alta produtividade em condição de seca ou com irrigação e permanência de produção diferente do que temos nas lavouras de hoje. Além disso, tem tolerância à doença da ferrugem, qualidade de bebida superior, a maturação dos frutos é uniforme, entre outras vantagens. Essa variedade se encaixa no atual momento que o produtor rural vive, pois ajuda a minimizar um efeito desastroso que a seca causou", disse Romário Gava.

O pesquisador Paulo Volpi, que conduziu os trabalhos que resultaram no Jardim Clonal Superadensado, também fez uma palestra técnica. Depois, os participantes puderam conhecer de perto o jardim clonal existente na Fazenda do Incaper de Marilândia, onde foram desenvolvidos os estudos.

"A grande vantagem do jardim clonal adensado é a velocidade de transferência ao produtor rural. Os viveristas vão adquirir esse material reduzindo o tempo para a produção das estacas (antecipando em mais de um ano a disponibilização das estacas aos cafeicultores), além da produção de grande número em área reduzida. Esperamos que daqui a 4 anos possamos ter 200 milhões de plantas no Espírito Santo", ressaltou Paulo Volpi.

Durante a solenidade, foram distribuídos mais de 200 kits contendo as 12 mudas que formam a variedade clonal a viveiristas e produtores. As mudas serão multiplicadas pelos viveiristas cadastrados e disponibilizadas aos produtores.

O cafeicultor Gessi Daldalto Denaquio, de 64 anos, que mora em Marilândia, destacou que a nova variedade de Conilon vai ajudar muito a família. "Vou repassar as mudas para os meus filhos. São 12 clones e vamos começar a produzir. Passamos um pouco de dificuldade com a falta de chuva, mas acredito que não vamos passar mais", comemorou.

Conheça as tecnologias:

‘Marilândia ES 8143’ – A cultivar é formada pelo agrupamento de 12 clones superiores. Além de ser tolerante à seca, a planta possui qualidade superior de bebida, além alto vigor vegetativo, resistência à ferrugem (que é uma das principais doenças dos cafezais). Mesmo em condições de déficit hídrico, a planta possui baixo índice de desfolhamento, e a maturação dos frutos é uniforme. A produtividade média é muito boa: 63,62 sacas beneficiadas por hectare em condições de déficit hídrico e 80,98 sacas beneficiadas por hectare em condições normais.

Jardim Clonal Superadensado de Café Conilon – A técnica de multiplicação de cultivares permite a produção de um grande número de estacas numa área reduzida, pois o espaçamento entre as plantas é menor. Além disso, as mudas ficam prontas mais rapidamente: em apenas 7 meses, o produtor já tem as estacas da muda nas mãos, pronta pro plantio. Antes, era preciso esperar cerca de um ano para clonar café. Esta tecnologia permite o aumento na produção de estacas em menor espaço, e em menos tempo. Além disso, as hastes são mais uniformes, e o custo de manutenção do jardim clonal é reduzido devido à facilidade de manejo e tratos culturais.

O evento foi encerrado com uma caminhada tecnológica. Os participantes percorreram a Fazenda Experimental do Incaper em Marilândia, visitaram experimentos e conheceram outros trabalhos desenvolvidos pelo Incaper em parceria com as diversas instituições.

 

loading...

Participe e comente