O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, anunciou, na tarde de terça-feira (10), a suspensão por tempo indeterminado da importação de leite do Uruguai. O pedido feito pelo deputado Evair de Melo (PV-ES) durante audiência na Comissão de Agricultura, em agosto, foi apoiado pela Frente Parlamentar da Agricultura e por produtores de todo o país.

A medida visa de imediato conter o desequilíbrio de preços na produção nacional e a insegurança dos produtores brasileiros. O Ministério também vai investigar outro ponto levantado por Evair de que parte do leite exportado passa por reprocessamento no Brasil antes de chegar ao consumidor final.

Em agosto, disse que iríamos ao debate "em busca respostas que nunca nos deram e a decisão do ministro prova de que estávamos certos: as importações do Uruguai, sem controle de quantidade, ameaça a nossa produção, principalmente do pequeno produtor”, lembrou o deputado.

Agora, o ministro informa que defende cotas de importação do produto do Uruguai, assim como já é feito com a Argentina, e de retirar o leite do Mercosul.

De acordo com o IBGE existem, atualmente, mais de um milhão de produtores de leite, na sua maioria agricultores familiares e pequenos agricultores no País. Dados da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) apontam que o Brasil comprou 86% da produção de leite uruguaio em pó desnatado e 72% do integral, em 2017. No primeiro semestre já foram importadas 41.811 toneladas de leite em pó.

Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic), as exportações de leite em pó representam 25% de tudo que o Uruguai vende ao Brasil. No setor privado, são 1,3 milhão de propriedades que produzem leite no país, com um registro de atividade leiteira em 99% dos municípios brasileiros. Em toda a cadeia do leite estão envolvidos cerca de 4 milhões de trabalhadores.

loading...

Participe e comente