Quando se pensa em saúde dos rebanhos, a preocupação mais comum é em relação à febre aftosa, doença viral altamente contagiosa e que pode causar grandes perdas econômicas aos criadores. Mas, a tuberculose bovina também merece atenção. A doença animal tem os mesmos sintomas da humana, como a perda de peso, e pode prejudicar a produção de leite e carne.

Segundo a médica veterinária do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (IDAF), Daniele da Costa, para a tuberculose bovina não há vacina. “A forma de combate à doença é fazendo exames periódicos, de seis em seis meses, nos animais na propriedade, e ter o cuidado de, ao comprar um animal, se certificar que ele tenha realizado esse exame”, orienta a veterinária.

Doença

A tuberculose bovina é causada pela bactéria “Mycobacterium” e entre os animais o contágio é por meio da respiração. A veterinária informou que por se tratar de uma zoonose, a doença pode passar dos animais para os humanos. Hoje, de 8% a 10% dos casos da doença em pessoas são ocasionados pelo consumo de leite contaminado.

“O contágio em humanos pode acontecer ao consumir o leite de uma vaca infectada, ou ainda, pelo contato muito próximo aos animais, como acontecem com os tratadores, já que a contaminação pode ocorrer pelo ar”, explica. “Como não há vacinação, a orientação é fazer os exames nos animais, e para os humanos, evitar o consumo do leite cru, aquele que não passa pelo processo de pasteurização”, finaliza a médica veterinária.

Sintomas

Por ser uma doença crônica, os sintomas demoram a aparecer. Os sinais que podem denunciar que o animal está infectado é a perda de peso e a diminuição de produção de leite.

De acordo com Daniele Costa, após infectados, a única alternativa é sacrificar o animal. Caso haja dúvidas, ele deve ser isolado do restante do rebanho para evitar o contágio. A tuberculose bovina afeta bovinos e búfalos, e é mais comum em animais que são criados concentrados em um determinado espaço.

Observar o rebanho é importante devido à relevância da atividade pecuária para a economia do Estado. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Espírito Santo produziu 56,7 mil toneladas de carne bovina entre janeiro e setembro do ano passado. Já a produção de leite ficou em 254 milhões de litros de leite ao longo de todo o ano de 2016.

Os dois setores da pecuária movimentam cerca de R$ 1,1 bilhão por ano no Espírito Santo.

loading...

Participe e comente