Um fato isolado que ocorreu em Ibitirama, na região do Caparaó, chamou a atenção para a crise de um setor da agricultura: a produção de tomate. Na segunda-feira (02), um produtor que possui plantação do fruto no município resolveu descartar 20 toneladas do produto, devido o baixo preço oferecido pela caixa: R$ 10,00.

Segundo informação passada pelo responsável da plantação, para poder cumprir com os custos da produção, a caixa deveria ser vendida a R$ 30,00, no mínimo. Logo, com os gastos de mão de obra e transporte até a Ceasa, o prejuízo seria de R$ 20,00. O dono dos tomates, Alexander Souza Ramalho disse que nem todo o tomate foi descartado, porque aproximadamente três toneladas foram doadas para asilos e hospitais da região, além de pessoas da região pegarem o produto, que ainda serviu para alimentar o gado.

Alexander não é produtor de Ibitirama. Ele realiza uma prática comum na região que é o de arrendar terras de outros agricultores, para cultivar tomates, o que é feito com frequência por produtores da região serrana do Estado. Por isso, a Secretaria Municipal de Agricultura de Ibitirama não tinha qualquer informação sobre o ocorrido e nem tem cálculo se isso pode ser considerado perda para o setor agrícola do município.

 

Prejuízos

Por sua vez, produtores de tomate de Venda Nova do Imigrante estão amargando prejuízos na comercialização do produto, por dois motivos: o clima que primeiro foi de muito sol e, logo após, muita chuva, o que prejudicou a qualidade do tomate na lavoura e, agora, o preço baixo pago pela caixa do fruto. Diante disso a única alternativa para o produtor é o descarte.

É o que afirma o produtor de Venda Nova, Vanderlei Cesconetti, 39 anos. “Aquilo ali é só o começo. Nossa safra sofreu com um período de sol muito forte e depois um período de chuva. Então, já houve um descarte muito grande devido à qualidade da mercadoria. Aliado a isso, o consumo do tomate está muito ruim e o preço muito baixo. Existe um excesso da mercadoria, a nível de Brasil”, conta o produtor.

 

Expectativas

Vanderlei colhe de 90 mil à 100 mil caixas de tomate por mês, em propriedades em 10 municípios capixabas, incluindo Ibitirama. Em algumas plantações, às condições climáticas causaram a perda de 60% da lavoura. “No mês de dezembro, fechamos em 120 mil caixas e vendemos 80 mil. Em janeiro, devemos fechar em 120 mil também, devido ao volume que foi plantado. Se conseguirmos fechar, será em torno de 70 mil. Em dois meses, vamos perder, no mínimo, quase 100 mil caixas”, lamenta.

Atualmente, o preço está causando o maior prejuízo. Segundo Cesconetti, a caixa de tomate está custando, hoje, de R$ 10,00 a R$ 15,00, sendo que o custo para a produção da mesma quantidade é de R$ 30,00. Não há expectativa de melhora no preço para os próximos meses.

Foto: Reprodução/Facebook

loading...

Participe e comente